A importância do questionamento na era da informação


Foto: Kelvin Polasso - Toledo News

Com o talento natural da inteligência e do discernimento que desenvolvemos desde a antiguidade, a sabedoria nos insinua que questionar-se, a fim de entender os porquês e progredir em conhecimento de causa, não é um crime aos olhos de Deus, afinal, sob a ótica da Fé, Ele é quem nos presenteou com esses dons que hora ou outra usamos, especialmente após a grande revolução cognitiva, para que pudéssemos vencer os desafios e os perigos naturais do meio selvagem, a fim de sobreviver e reinar sobre os animais da terra, do ar, e do mar.

E sobrevivemos

 

No cenário atual, contudo, os maiores percalços da existência são sobretudo de ordem intelectual, fazendo que seja necessário, por fim, um urgente aprimoramento nas questões que envolvem a busca do saber, e isso faz sentido para qualquer pessoa consciente de sua pequeneza diante desse universo de informações, e dados, e metadados, seja lá o que isso for.

Em vista do que é sensato nesse cenário contemporâneo onde os “dados” de informação digital mostram-se cada vez mais valiosos e “obscuros” para a sociedade, notamos que o crime não seria buscar respostas, exatamente, mesmo quando estas sejam direcionadas a Deus ou às questões espirituais, por exemplo. 

O verdadeiro crime seria não utilizarmos ou multiplicarmos estes talentos que nos foram oferecidos para alcançarmos tal fim. Pecado mesmo, seria pararmos de buscar o aprimoramento moral e intelectual com esse supercomputador mental que dispomos, especialmente agora, diante das sombras que ainda pairam sobre determinados assuntos, frente às questões primordiais que jamais foram respondidas.

Logo, a mensagem que fica nessa era da desinformação é: buscai! Buscai sem preconceitos ou correntes ideológicas o conhecimento aprofundado sobre tudo o que lhe interessa. - E porque não, sobre as coisas de ordem religiosa, ou espiritual? Questione-se sobre tudo! E verá que ainda existem muitos saberes que deverão ser aprimorados, e melhor aceitos, sob a luz do entendimento, e da sensata observação.

* As informações contidas nos artigos de colunistas, não necessáriamente, expressam a opinião do Toledo News.

Felippe Mattes

Felippe Mattes Cavichioli é conhecido com o pseudônimo ‘Pietro’. Ele nasceu em junho de 1993 no bairro da Lapa, em São Paulo. Atualmente reside em Toledo e é aluno do curso de Serviço Social da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

No Templo Espiritual Maria Santíssima, ainda em São Paulo, Pietro descobriu a sua vocação para o ensino, através de escritos e da oratória. Desenvolveu trabalhos relacionados ao rádio, audiovisual e textos diversos, publicando poesias (Livro Relicário, Minhas Histórias -editora Delicatta) e aventurando-se na literatura relacionada ao saber espiritual.

Desde então, Pietro busca abordar os temas relacionados às ciências espirituais, explicando os fenômenos e o conteúdo moral do evangelho cristão de forma didática e simples para o dia a dia.