Cesta básica tem alta de 05,48% no mês de julho em Toledo


Foto: Freepik

O preço médio da cesta básica em Toledo apresentou um aumento de 05,48% no mês de julho, quando comparado ao mês de junho. Esse resultado foi apontado no estudo mensal do Núcleo de Desenvolvimento Regional (NDR), que é composto pelo curso de Ciências Econômicas e pelos programas de Pós-graduação em Economia (PGE) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) Campus de Toledo.

Os estudos realizados pelo grupo tiveram início no mês de abril e devem seguir mensalmente. Entre os meses de abril e maio foi observado um aumento de 00,81% no valor da cesta básica, enquanto entre os meses de maio e junho houve uma redução de 00,55%. Já entre junho e julho o aumento foi expressivo e chegou aos 05,48% mencionados anteriormente.

Essa elevação no preço geral da cesta básica em Toledo se deve principalmente pelo aumento dos valores médios de alguns produtos. Os principais deles são o tomate (57,94%); café (14,32%); margarina (12,26%); leite (04,40%); carne (04,05%); açucar (03,49%); e batata (01,56%).

A professora e coordenadora do NDR, Crislaine Colla destaca que o tomate e a carne foram os produtos com o maior impacto no aumento do valor da cesta básica em Toledo. “Constata-se que o tomate foi o produto com o aumento mais expressivo em função da redução na oferta relacionada a fatores climáticos. O aumento no preço do café também refere-se à expectativa de quebra de safra devido à geada, gerando aumento no preço do grão. Considerando o aumento de 05,48% no custo da cesta básica de alimentos em Toledo, observa-se que o tomate teve o maior impacto, com 03,96 pontos, seguido pela carne, com 01,98 ponto”, informou.

Mesmo com o aumento geral no valor da cesta básica individual, alguns produtos também apresentaram redução entre junho e julho. Alguns deles são: o arroz (- 06,71%); pão francês (- 05,00%); banana (- 04,53%); o óleo de soja (- 04,06%); feijão (- 03,97%); e a farinha de trigo (- 01,62%).

“O objetivo da pesquisa é mostrar o preço médio e a variação no valor dos bens da cesta básica de alimentos; o preço total e a variação no custo da cesta básica de alimentos individual e familiar; o poder de compra do trabalhador pelo tempo de serviço necessário para comprar os itens; o percentual do salário mínimo que é destinado à compra dos produtos; e o salário mínimo necessário para adquirir a cesta básica, para suprir as despesas de habitação, vestuário, transportes, entre outros”, esclareceu Crislaine Colla.

No mês de julho o valor total da cesta básica individual em Toledo ficou em R$ 516,70, o que representa 48,14% do salário mínimo líquido, que é de R$ 1.100,00. Já a cesta básica familiar custou em média R$ 1.550,11, chegando a 152,34% do salário mínimo brasileiro.

Outro indicador demonstrado na pesquisa do mês de julho é o de horas trabalhadas necessárias para efetuar a compra da cesta básica. Em junho eram 97,97 horas e no mês de julho este tempo passou para 103,34 horas. No caso do trabalhador que recebe um salário mínimo, ele utiliza 46,97% de suas horas de trabalho para adquirir os produtos da cesta básica.

Os itens que compõem a cesta básica e que foram analisados na pesquisa são: feijão; leite; carne; arroz; farinha de trigo; batata; tomate; pão francês; café; banana; açúcar; óleo de soja; e margarina.

O sistema utilizado para a elaboração da pesquisa da cesta básica de alimentos de Toledo utiliza como base os pressupostos metodológicos do Departamento de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).