Rocket Barbearia: Mais do que um corte de cabelo, uma experiência
 
Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9800-7080

Nos pênaltis, Athletico vence o Toledo e conquista o Paranaense 2019

Toledo | 21/04/2019 | 18:32 |
| Fotos: Bem Paraná |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
O Athletico Paranaense é campeão paranaense de 2019. O título foi conquistado nesse domingo (dia 21) com a vitória nos pênaltis sobre o Toledo, por 6 a 5, no segundo jogo da final. No tempo normal, a partida terminou em 1 a 0 para o Furacão. No primeiro jogo da final, em Toledo, o time do Interior venceu por 1 a 0. Com isso, a equipe da capital precisava de uma vitória por dois ou mais gols de diferença para ficar com o título. Como ganhou por um gol, a decisão foi nos pênaltis.

Esse foi o 25º título do Athletico no Campeonato Paranaense em toda história. O maior campeão do Estado é o Coritiba, com 38 títulos estaduais. O Toledo nunca conquistou o Paranaense. O título ficou com o Interior em 13 edições, contra 95 vezes da capital.

Em 2019, o Furacão usou apenas a equipe de aspirantes em todas as partidas da competição.

DECISÃO POR PÊNALTIS
Nos pênaltis, acertaram para o Athletico: Bergson, Poveda, Lucas Halter, Matheus Anjos, Marquinho e Khellven. Ninguém errou.

Pelo Toledo, converteram Revson, Jonathan, Leo Teles, Guilherme Rend e Pacato. O único a errar foi Adriano (Léo defendeu).

DESEMPENHO
Nos 90 minutos, o Toledo repetiu a fórmula ultradefensiva e com pouca preocupação no contra-ataque. A ideia era apenas ganhar tempo e tentar a sorte nas raríssimas jogadas ofensivas. O Athletico pressionou nos 90 minutos, mas cometeu erros infantis. Abusou dos cruzamentos e não teve paciência para encontrar brechas na marcação adversária.

CAMPANHAS
O Athletico terminou com a maior pontuação do Campeonato Paranaense, com 27 pontos (8 vitórias, 3 empates e 4 derrotas). O Toledo somou 3 vitórias, 8 empates e 4 derrotas em todo o Estadual.

RETROSPECTO
Athletico e Toledo já se enfrentaram 16 vezes na história, com 7 vitórias do time da capital, 4 do Interior e 5 empates.

ARTILHEIRO
O artilheiro da competição foi o centroavante Rodrigão, do Coxa, com sete gols em oito jogos. Os artilheiros do Athletico no Paranaense foram o meia Marquinho e o atacante Bergson, ambos com seis gols.

PÚBLICO
O jogo registrou o maior público do Paranaense 2019, com 29.130 pessoas na Arena da Baixada. O recorde anterior era do Atletiba da final do segundo turno, com 15.215 pagantes, no mesmo estádio. A melhor marca do clube em 2019 foi contra o Boca Juniors, na Libertadores, com 33.658 pagantes na Arena da Baixada.

ESCALAÇÃO
O Athletico veio com três mudanças em relação ao time do primeiro jogo da final. Saíram da equipe o zagueiro Robson Bambu, o volante Christian e o ponta Jaderson. E entraram o zagueiro Éder, o volante Rossetto e o meia João Pedro. O esquema tático foi a variação do 3-4-3 (com a bola) para o 5-4-1- (sem a bola) usada em toda segundo turno do Paranaense. Já o Toledo usou o 6-3-1 para defender e o 4-1-4-1 quando tinha a posse de bola.

ARBITRAGEM
O Athletico reclamou de dois pênaltis não marcados. Um aos 15, após escanteio, quando Zé Ivaldo dividiu com Fandinho e caiu na área. 

26 – Confusão. Bergson se joga e tenta cavar falta fora da área. O lance segue. Ele invade a área e cai ao dividir com Matheus. O Athletico pede pênalti. Jogadores discutem e trocam empurrões.

PRIMEIRO TEMPO
Ao contrário da lentidão do primeiro jogo em Toledo, a partida na Arena teve trocas rápidas de passes e muitas bolas diretas para a área. O Athletico começou pressionando e sufocando o adversário desde o início. O gol veio já aos 6 minutos, em falta sofrida por Bergson e cobrada por Rossetto. A bola desviou na barreira e entrou no canto: 1 a 0. O Toledo quase não tinha a posse de bola e levou algum perigo em cobranças de escanteio.

Depois do gol, o Athletico trocou a velocidade pela pressa e passou a errar demais em lances fáceis. Só voltou a incomodar no fim, aos 39 e aos 40, em dois cruzamentos de Khellven. Aos 39, Marquinho cabeceou no canto e o goleiro fez grande defesa. Aos 40, Erick cabeceou, após escanteio, e acertou a trave.

SEGUNDO TEMPO
Aos 4, João Pedro saiu lesionado. Entrou o atacante Poveda. O Athletico voltou com a mesma atitude do primeiro tempo, com muita pressa e abusando dos cruzamentos. Apesar dos erros excessivos na construção e na definição, o time da casa criou boas chances para fazer o segundo gol. O Toledo acabou saindo mais para o jogo no segundo tempo e levou perigo em dois contra-ataques.

Aos 29, a segunda substituição no time da casa, saindo Rossetto e entrando o meia Matheus Anjos. Aos 31, mais uma bola na trave: Matheus Anjos cruzou e Lucas Halter mandou no travessão. Aos 42, saiu o zagueiro Éder e entrou o ponta Jaderson.

ESTATÍSTICAS
O Athletico teve 71% de posse de bola, 22 finalizações (7 certas) e 9 escanteios. O Toledo somou 5 arremates (nenhum certo) e 3 escanteios. Os dados são do site oficial do Athletico.
PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL