Sua empresa vai fazer alguma promoção? Anuncie ela neste espaço
 
Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9800-7080

Polícia tentou atrapalhar investigações do homícidio de Marielle Franco

Brasil | 24/05/2019 | 15:26 |
| Fotos: Notícias ao Minuto |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um relatório divulgado pela Polícia Federal sobre o homicídio da vereadora e ativista dos direitos humanos Marielle Franco concluiu que um policial militar tentou atrapalhar a investigação do caso.

As autoridades destacaram que o agente militar Rodrigo Jorge Ferreira teria inventado uma história sobre o envolvimento de um suposto elemento de uma milícia no crime, para se vingar e confundir a polícia.

Segundo o relatório, Rodrigo Jorge Ferreira era aliado do miliciano Orlando Oliveira de Araújo, mas os dois desentenderam-se e o policial resolveu apontar o antigo aliado como responsável pelo homicídio de Marielle Franco, segundo o depoimento que fez na polícia.

Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes foram mortos em 14 de março de 2018, quando regressavam de um evento político ao serem atingidos por tiros disparados contra o carro em que viajavam na cidade do Rio de Janeiro.

O crime completou 14 meses em maio e, embora a Polícia Civil do Rio de Janeiro afirme que dois ex-agentes da polícia sejam os atiradores, a investigação permanece em curso e ainda não há uma conclusão sobre a motivação nem sobre quem foram os mandantes do crime.

PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL