Refluxo: a doença que atinge até 40 milhões de brasileiros


Se você sente pirose (conhecida popularmente como azia), queimação que começa na boca do estômago e, muitas vezes, sobe para a garganta, regurgitação de um líquido ácido e amargo até a boca e/ou disfagia (dificuldade ao engolir), provavelmente você possui a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE).

O refluxo, ou doença do refluxo gastroesofágico, como nós médicos chamamos, é um dos diagnósticos mais comuns na gastroenterologia, pois acomete cerca de 10,00% a 20,00% dos brasileiros, segundo a Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia (SBMDN). É a condição que se desenvolve quando o conteúdo do estômago retorna ao esôfago e provoca sintomas desagradáveis.

A principal causa está no esfíncter (barreira) que separa o esôfago do estômago e que deveria funcionar como uma válvula para impedir o retorno dos alimentos e controlar a passagem do conteúdo ácido do estômago para o esôfago. Dentre as causas para esse mau funcionamento estão os fatores anatômicos (por ex.: hérnia de hiato) e os fatores fisiológicos (por ex.: pressão inadequada do esfíncter esofágico inferior).

O diagnóstico é iminentemente clínico baseado nos sintomas, porém a endoscopia e a pHmetria auxiliam no diagnóstico.

O tratamento da DRGE pode ser clínico ou cirúrgico. O clínico consiste em administração de medicamentos que diminuem a produção de ácido pelo estômago paralelamente a mudanças no estilo de vida, como perder peso e cessar o tabagismo. Já o tratamento cirúrgico está indicado para casos refratários ao tratamento clínico e, normalmente é realizado através de cirurgia videolaparoscópica.

* As informações contidas nos artigos de colunistas, não necessáriamente, expressam a opinião do Toledo News.

Dr. Leandro Faé

Dr. Leandro Faé
CRM – PR 36.049

CLÍNICA ENDOGASTRO TOLEDO
Cirurgia Geral pelo Hospital Felício Rocho – BH/MG
Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema – JF/MG
Instagram: @drleandrofae