Sábado, 20 de Julho de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9800-7080
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Da pista construída em 52 horas aos voos comerciais: Uma história de pousos e decolagens

Toledo | 08/01/2019 | 13:10 |
O Aeroporto Municipal de Toledo é marcado por altos e baixos. No próximo dia 9 de janeiro, depois de oito anos, o município volta à rota aeronáutica pela Azul Linhas Aéreas. O retorno da linha comercial a Toledo, que no final da década de 90 chegou a ter dois voos diários de 30 passageiros, é o check-in para o desenvolvimento regional.  Um embarque que será possível pela persistência de muitas pessoas, que há 66 anos trabalham para ver Toledo decolar.

Essa história começa no ano de 1953, com a escolha do local do aeroporto. Segundo os relatos do livro “Toledo no Paraná – de Ondy Hélio Niederauer” *, Willy Barth, diretor da colonizadora Maripá, escolheu um grande planalto a nordeste da cidade. O espaço era limpo, sem árvores, coberto por vasto samambaial, que no inverno secava pelas geadas e depois era incendiado. O local tinha topografia adequada e ventos predominantes no sentido norte-sul.

A construção do campo de aviação para a jovem Toledo foi marcada pela união da comunidade. Alguns homens começaram os trabalhos com três tratores, uma motoniveladora e tambores de óleo. O fato chamou atenção da comunidade, que foi ajudar, montando até uma cozinha. Os homens deixaram os serviços da cidade e foram construir a pista. Foram duas noites de trabalho, com pessoas se revezando e a montagem de uma usina portátil improvisada.

EMBARQUE

18/02/1952: Primeiro avião a pousar no campo de aviação de Toledo, um dia depois da pista estar pronta.

A força tarefa resultou na construção da pista em 52 horas, iniciando em uma sexta-feira, 20 de fevereiro de 1953, e terminando ao meio dia do domingo, dia 22, com uma pista em terra batida de 70 por 1200 metros.  Neste mesmo dia aconteceu o primeiro pouso no aeroporto de Toledo. Um avião de treinamento, um “Paulistinha”, depois de sobrevoar a pista várias vezes fez uma aterrisagem.

No dia 24 de janeiro de 1954 foi inaugurado o Aeroporto Major Wilson França em Toledo, em homenagem ao chefe da Divisão Administrativa da Escola de Oficiais Especialistas de Curitiba, que teve papel importante na homologação do aeroporto, assim como na criação do Aeroclube de Toledo.

Em pouco tempo a pista foi alargada para 100 por 1450 metros e ambas as cabeceiras ensaibradas. Assim o aeroporto decolou como um dos preferidos no Estado, devido sua topografia. No início o aeroporto recebia pequenas aeronaves com compradores de terra do Norte do Paraná e de Porto Alegre e de alguns táxis-aéreo, depois aumentou sua representatividade na aviação.

DECOLAGEM

24/01/1954: Inauguração oficial do Aeroporto de Toledo

No dia 17 de agosto de 1954, o Douglas DC-3, prefixo PP-CID dos Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul aterrissou no aeroporto marcando o voo comercial inaugural de Curitiba para Toledo. No ano seguinte o aeroporto tinha uma empresa aérea em operação. No dia 30 julho de 1955 a Real Transportes Aéreos passou a ligar Toledo a Porto Alegre com escalas intermediárias.

O aeroporto ficava cada vez mais movimentado. Em 30 de agosto de 1956 a Sociedade Anônima Viação Aérea Gaúcha (SAVAG) iniciou linha de Sant’Ana do Livramento até Toledo, com escala em Porto Alegre. Já em 26 de dezembro de 1963 a SADIA Transporte Aéreos, depois Transbrasil, inaugurou voos para Toledo. Havia dias que o modesto aeroporto, construído em 52 horas, recebia até três aviões de passageiros de linhas regulares.

POUSO
26/12/1963: Primeiro voo do turbo hélice da Sadia a Toledo. Prefixo APP-ASU

Mas, anos depois o transporte rodoviário ganhou destaque e as empresas aéreas venderam suas aeronaves. O aeroporto de Toledo voltou a receber apenas voos de aviões de pequeno porte e poucos investimentos. Essa fase demorou décadas. O aeródromo também mudou de nome para Aeroporto Municipal Luiz Dalcanele Filho, pelo afastamento do Major Wilson França do município e como forma de homenagear um dos sócios fundadores da Maripá, que foi diretor da colonizadora e que muito contribuiu com o desenvolvimento de Toledo.

Diante do período de subutilização do aeroporto, mais uma vez a determinação de quem vislumbrava um futuro mais promissor para o município mudou a realidade. Manuel Raimundo de Carvalho (Cacá), então administrador do aeroporto, realizou um trabalho com as lideranças de Toledo e Ministério da Aeronáutica, com a colaboração de empresas locais, inclusive a Maripá, para o asfaltamento da pista de pouso e decolagem.

A nova pista pavimentada tinha a extensão de 30 por 1.610 metros, era equipada até com balizamento para operações noturnas.  O aeroporto, que tinha homologação para as categorias A e C, com PCN para operações de aviões até 50 passageiros voltou a alçar voo.

A BORDO

02/04/1962: Um dos dias mais movimentados do aeroporto: atos fúnebres de Willy Barth

O aeroporto de Toledo, voltou a ter rota comercial. Em 1999 voos regulares da Rio Sul-Varig ligavam Toledo a São Paulo e Curitiba, aeronaves para 30 passageiros pousavam duas vezes por dia em Toledo, chegando a receber um voo com 50 passageiros na Festa Nacional do Porco do Rolete daquele ano. Foi o ápice do aeródromo municipal.

A empresa operou por alguns anos no município. Porém, novamente o aeroporto passou por um momento de baixa e ficou cerca de dez anos atendendo apenas voos particulares. Novamente esforços da comunidade e lideranças resultaram em mais uma decolagem. Em 2011 a empresa Sol Linhas Aéreas possuía rotas para Umuarama e Curitiba, utilizando uma aeronave LET L-410. As últimas linhas comerciais duraram de agosto a outubro daquele ano.

CONEXÃO

06/08/1956: Avião da SAVAG no Aeroporto de Toledo

Desde então o avião está em solo. Mas, investimentos públicos e da iniciativa privada, representatividade política e envolvimento da comunidade fizeram deste tempo uma conexão para que, novamente, Toledo volte a ganhar os céus.  Um período que virou um novo capítulo dessa história, ainda a ser lido na sala de embarque.

*Referência:  Toledo no Paraná a História de um Latifúndio Improdutivo, Sua Reforma Agrária, Sua Colonização, Seu Progresso – de Ondy Helio Niederauer.

02/04/1962: Atos fúnebres do falecimento de Willy Barth. O avião levaria o corpo para ser enterrado no Rio Grande do Sul e os moradores de Toledo foram dar o último adeus. | Fotos: Museu Histórico Willy Barth |
Conteúdo patrocinado abaixo
PUBLICIDADE
Grupo do Toledo News no WhatsApp
Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Procurando uma nova opção para o almoço de domingo com a família? Conheça o Boi Campeiro
Celulares Xiaomi em promoção na RJK Shop de Toledo
Limpa Split Toledo: Limpeza e higienização de ar condicionado em 10x de R$ 17,09
Aposte nestes chás funcionais para emagrecer. Entrega grátis em Toledo
Procurando Jeans de qualidade, conforto com preço justo? Conheça a JS Jeans Store