Cesta básica apresentou redução de 03,49% no mês de dezembro em Toledo


Foto: Divulgação - EBC

Depois de alguns meses com aumentos relevantes, a cesta básica de alimentos apresentou redução em Toledo. No mês de dezembro, o preço médio da cesta básica de alimentos apresentou uma redução de 03,49% em relação ao mês de novembro.

Esses dados foram apresentados em um estudo realizado mensalmente pelo Núcleo de Desenvolvimento Regional (NDR), que é composto pelo curso de Ciências Econômicas e pelos programas de Pós-graduação em Economia (PGE) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

No mês anterior o valor médio da cesta básica individual era de R$ 567,77. Em dezembro o valor foi de R$ 547,95, ou seja uma redução de 03,49% ou de R$ 19,82. Apesar da redução no último mês, os valores médios praticados em Toledo ainda são expressivos, uma vez que desde o início da pesquisa em abril houve um acréscimo acumulado de 12,15% no valor médio praticado na cidade.

O estudo realizado pelo NDR também verifica o valor médio da cesta básica familiar nos municípios participantes da pesquisa. A cesta básica familiar leva em consideração uma família com um casal e duas crianças, sendo que duas crianças equivalem a uma pessoa adulta. Em novembro a cesta básica familiar custava R$ 1.703,30 em Toledo e reduziu para R$ 1.643,86 em dezembro.

Atualmente o salário mínimo praticado no Brasil é de R$ 1.100,00, e em fevereiro passará para R$ 1.210,00, mas o salário mínimo líquido atual é de R$ 1.017,50, visto que são descontados 07,50% para o Instituto Brasileiro de Previdência Social (INSS). Dados esses valores, um trabalhador que recebe um salário mínimo não tem condições de adquirir a cesta básica familiar. O valor é superior em 61,56% o salário mínimo e o brasileiro ainda precisa arcar com uma série de outras dívidas individuais e familiares.

Vale lembrar que a cesta básica de alimentos compreende apenas os itens considerados essenciais para a mesa do brasileiro e não envolvem outros gastos que não são considerados de extrema necessidade.

Outro dado apontado na pesquisa é qual seria o salário mínimo necessário para cobrir todas as despesas básicas de uma família durante o mês em Toledo. O valor apontado foi de R$ 4.603,86. Esse montante compreende a aquisição dos produtos da cesta básica familiar e demais despesas de necessidade, tais como habitação; vestuário; transporte; água e esgoto; e energia elétrica, dentre outras.

Entre os meses de novembro e dezembro houve uma redução no valor médio da cesta básica no município. Isso ocorreu justamente pela estabilização ou redução dos preços de alguns dos itens da cesta básica. Houve redução na batata (-39,06%); tomate (-25,69%); leite (-08,27%); farinha de trigo (-02,07%); carne (-01,70%); e óleo de soja (01,39%). Em compensação alguns produtos apresentaram aumento, sendo eles a banana (24,91%); café (12,04%); açúcar (08,76%); pão francês (05,46%); margarina (04,00%); arroz (01,39%); e o feijão (01,32%).

Os produtos que compõem a cesta básica de alimentos e que foram levados em consideração para a realização do estudo são os seguintes: arroz; feijão; açúcar; farinha de trigo; café; óleo de soja; margarina; carne; batata; tomate; banana; pão francês; e leite.

A metodologia utilizada para a realização do estudo é baseada nos pressupostos metodológicos do Departamento de Estatística e Estudo Socioeconômicos (DIEESE). Além de Toledo a pesquisa também foi aplicada nos municípios de Cascavel-PR; Curitiba-PR; Francisco Beltrão-PR; Pato Branco-PR; Dois Vizinhos-PR; Florianópolis-SC; Porto Alegre-RS; Campo Grande-MS; São Paulo-SP; Recife-PE; e Belém-PA.

A professora e coordenadora do NDR, Crislaine Colla destaca que apesar da redução importante registrada no valor médio em dezembro é importante avaliar todos os meses pesquisados entre abril e dezembro de 2021. “É importante destacar que em dezembro houve uma redução importante no custo da cesta básica em Toledo, mas o índice de aumento dos nove meses tabulados em 2021 foi muito significativo e é considerado um índice alto (12,15%), o que demonstra a perda do poder de compra do consumidor”, disse Crislaine Colla.